Saturday, December 18, 2010

António Damásio na UCSB em Janeiro


The Literature & Mind Initiative at UCSB invites you to…

An Afternoon with

ANTONIO DAMASIO
David Dornsife Professor of Neuroscience
Director, Brain and Creativity Institute, USC
Author of Descartes’ Error, The Feeling of What Happens, Looking for Spinoza, and most recently, Self Comes to Mind

McCune Conference Center, UCSB
Humanities Social Sciences Building, Sixth Floor, Room 6020
Friday, January 14th, 2011

Lecture and Discussion 3:30-5pm
Reception 5-6pm

Co-sponsored by the Center for Portuguese Studies
and the Sage Center for the Mind


Patrício da Silva

Quartet What's Next

Yevgeniy Milyavskiy (piano) 


Patrício da Silva 

Várias obras de Patrício da Silva, Ph.D. em Composição pela UCSB, foram tocadas esta segunda e terça-feira em Pasadena (LA) juntamente com obras de Jennifer Logan e "Improvisações" por Bryan Pezzone. De Patrício:  uma impressionante Fantasia para piano, tocada a seguir a um Nocturno já conhecido (ver no Youtube em nadaniente115a), um concerto para viola, uma obra para flauta e viola, um Quinteto com Clarinete, além de outras obras e orquestrações de música da época da Depressão. Parabéns, Patrício! 

Friday, December 17, 2010

Kindle for MAC and PC (it's free...)


Amazon has just announced ( 19.3.2010) to the masses that they will be offering a new free application known as “Kindle for Mac”, where this piece of software is able to allow readers worldwide to enjoy books that were meant for the Kindle on their respective Mac computers. Just in case you were wondering whether there are enough tomes to get you interested, you would be well pleased to know that the U.S. Kindle Store (www.amazon.com/kindlestore) holds more than 450,000 books at the moment, and these aren’t dusty digital versions since they comprise of New Releases and 102 of 111 New York Times Bestsellers, making it THE place to look for some of today’s most popular books in digital format. This means that Kindle books can now be read on the Kindle, Kindle DX, iPhone, iPod touch, BlackBerry, PC and Mac, as well as the upcoming iPad.
Guess there is no longer any more need to purchase a Kindle since you can experience the joys of reading on your Mac alone, eh? Kindle for Mac will boast Amazon’s Whispersync technology which automatically saves and synchronizes bookmarks and last page read across devices. This means you can always be up to date with your reading without having to search where you last left off even if you were dabbling with a plethora of devices to fulfill your daily reading quota. In a nutshell, Kindle for Mac allows you to read some on your Mac, followed by some on your Kindle later on, always pick up where you left off without missing a beat. Additional features will be thrown into the mix sometime down the road, including full text search and the ability to create and edit notes and highlights. Of course, you can pick it up on Amazon.

Thursday, December 09, 2010

Tristan und Isolde

"As I have never truly experienced the happiness of love in life, I now wish to create a monument to this most beautiful of dreams - in which, from beginning to end, this love can satisfy its hunger."

(Wagner in a letter to Liszt in 1854)

Tuesday, December 07, 2010

10 years

"It is said that when Beethoven finished the Appassionata  he commented that it would still be played ten years later."

Theodor W. Adorno

Monday, December 06, 2010

Américo Rodrigues


Na próxima sexta-feira, 10 de Dezembro, pelas 16h 30m, na Sala Ferreira Lima da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, terá lugar uma Aula Aberta da disciplina de Materialidades da Literatura I, sobre poesia sonora e a obra de Américo Rodrigues. A aula contará com a presença do poeta.
Américo Rodrigues é o maior nome da poesia sonora em Portugal, com uma obra repartida por 5 CD's e uma Obra Completa, em micro-livro.
As inscrições serão limitadas, podendo usar-se para esse efeito o mail do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura: materialidades.da.literatura@gmail.com
O site do curso pode ser visitado aqui: http://matlit.wordpress.com/

Saturday, December 04, 2010

Lunatone

poema ambicioso

se eu ladrasse gemesse ou uivasse em vez de falar
ninguém me levaria a sério ou levavam-me a sério
de maneira errada e ofensiva por isso deve ser por

isso que por vezes passo muito tempo sem dizer
nada o silêncio é discreto ninguém dá por nós podem
limpar-nos o pó da cara e das pernas porque nos

confundiram com a cómoda no canto do quarto e
não tem importância nós ficamos imobilizados
como uma estátua para não os assustar não vale

a pena perturbar-lhes a rotina e se nesse momento
ladrássemos havia de ser engraçada a reacção não
posso evitar tive de me rir ao imaginar a cena se

eu soubesse cantar ou tocar piano também podia
falar sem usar a garganta a boca a língua mas se
tocasse flauta já seria diferente quando me dou

ao trabalho de pensar um pouco descubro coisas
interessantíssimas acontece-me quando aquilo
que designo por inspiração ou ímpeto criativo

me abandona não será curioso claro que é curioso
contribuir para denegrir aquilo a que alguns
ingénuos ainda designam por poesia e que lhes

dá tanto trabalho e tantas emoções fabricadas
na oficina em que cinzelam sem descanso as
peças de oiro que acabarão no fundo de um

armário antes de serem definitivamente enviadas
para a lixeira municipal mais próxima denegrir a
poesia a literatura nem sequer me diverte na

verdade o projecto é muito antigo o que acontece
é que eu nunca tinha tido coragem de ir tão longe
distante da pátria dos escritores dos legisladores

de meia dúzia de tolos tontos que se tomam por
especialistas da literatura e pensam que alguém
lhes presta atenção a minha liberdade é total o que

eles dizem o que eles pensam nem sequer chega ao
meu conhecimento a maior parte das vezes e quando
chega não me merece grande atenção como dizia

no início se pudesse ladrar uivar gemer e até tocar
piano ou oboé a situação mudava radicalmente
só que embora me importe pouco o que possam

pensar do que eu faço a maior parte das pessoas
não tenho competência suficiente em nenhuma
dessas artes daí o meu silêncio quando se esvai

aquilo a que chamo a inspiração o ímpeto criativo
a minha sintaxe desconjuntada não me leva a lado
nenhum bem sei mas se escrevo provo que existo

não abandono o lugar que é meu a ninguém oh não
se alguém o quer ocupar empurre-me rasteire-me
insulte-me tente assassinar-me daqui não saio