Sunday, August 31, 2008

The bitterness and pain of life

Nurse:

The men of old times had little sense;
If you called them fools you wouldn't be far wrong.
They invented songs, and all the sweetness of music,
To perform at feasts, banquets, and celebrations;
But no one thought of using
Songs and stringed instruments
To banish the bitterness and pain of life.

Euripides, Medea (180-213)
(translated by Philip Vellacott)

Céu com nuvens

Saturday, August 23, 2008

Maldição

A pior coisa que pode acontecer a uma pessoa é tornar-se um escritor conhecido, famoso, estudado. Nunca mais param de contar histórias sobre a sua vida e a sua pessoa, nunca mais param de interpretar tudo o que pretendem que ele escreveu, disse, pensou e fez, nunca mais param de viver à sua custa e à custa da sua vida e da sua obra como provavelmente ele nunca viveu à custa dos outros. É um destino maldito ser vítima de tantos abusos. Há escritores que prepararam para si mesmos esse futuro. Mas há muitos outros que se limitaram a escrever e a querer que os deixassem em paz.

Sunday, August 03, 2008

A casa

O que é uma casa? Carlos de Oliveira escreveu Finisterra para explicar o que é uma casa. Uma casa são as pessoas que a habitaram. Os filhos crescem, os pais envelhecem, a casa cresce e envelhece com eles. A história de uma casa é a história das famílias que a habitaram. Enquanto permanece propriedade da mesma família a casa conserva, através daqueles que a habitam, a memória das pessoas e dos acontecimentos dessa família. O lugar daqueles que partiram ou que morreram permanecerá para sempre vazio, ninguém o pode ocupar. Se a casa muda de dono, termina um ciclo e inicia-se outro. É por isso que Finisterra também é um romance sobre o poder de destruição do tempo.



Frases bonitas

No fim de um capítulo do romance The Reader, do romancista alemão Bernhard Schlink, leio esta frase: "There is no need to talk, because the truth of what one says lies in what one does." A segunda parte da frase agrada-me porque me parece corresponder à verdade; a primeira parte da frase, porém, não se justifica de modo nenhum pela segunda. Coisas de romancistas.