Wednesday, May 23, 2007

Diz-me a quem sorris e...

Ela sorria em quase todas as fotografias, parecia estupidamente feliz, estava exuberantemente excitada. Eu nem a reconhecia. Como não tinha sido eu a tirar-lhe as fotografias, cada sorriso dela era uma provocação, uma prova de falta de carácter, uma injúria. Poor thing. Fiz uma montagem de todos os sorrisos no Photoshop e adoptei a fotografia como wall paper do meu computador. Ao fim de uma semana, cansado de contemplar a tolice leviana, voltei à natureza morta a preto e branco que usava antes. E nunca mais tive saudades dela.

No comments: