Saturday, September 30, 2006

Presença

Uma voz, som que irrompe
do silêncio; se souberes ouvir,
se prestares atenção, se for
o momento da revelação, podes
entender o que nunca foi explicado:
a vida, a morte, o amor às
árvores, às vinhas e às colinas,
aos rios e às cidades, às
manhãs que nascem e às noites
em que morre a luz e o dia.
Uma voz, se ouvida, enche
o espaço imenso da criação,
habita-o, dá-lhe o sentido
que se procurava. E tu, sentado,
nem sequer mexeste a cabeça,
ficaste a olhar o infinito, embebido
e embrenhado no som, no rosto,
na súbita presença. Meu Deus,
pensaste. Mas não disseste mais nada.


Santa Barbara, 29 de Junho de 2004

2 comments:

María said...

About YOU: quem és? Tens cara?

J. Camilo said...

:-)